terça-feira, 8 de maio de 2012

CARTA AOS JOGADORES



Antes de mais nada, quero deixar claro que estou bem longe do mundo interno dos clubes de futebol. Não sei o que se passa lá dentro, no dia a dia dos treinos, mas tenho certeza que tem muita coisa que não chega a nós, meros torcedores. O que sei de São Paulo Futebol Clube foi vendo jogos das arquibancadas. Foi torcendo, conversando com os amigos e lendo nos sites e blogs da vida...

E isso que eu vejo, que eu aprendi a gostar, toma uma boa parte do meu coração, preenche boa parte da minha vida. Gosto de ir a estádio, gosto de entrar em rodinhas em que se fale de futebol, de assistir mesas redondas, de ler sobre o assunto. Por isso, fiquei com vontade de escrever uma carta aos jogadores. Uma carta que, provavelmente – provavelmente, não; porcentagem 0 – não vá chegar às mãos deles. Mas, vale o desabafo.

Como torcedora nova, que não viveu épocas mais antigas do futebol, eu sei que de todos os titulares e reservas do São Paulo, nenhum tem amor à camisa que vestem. Podem honrar o clube que defendem, fazer valer o salário que recebem e se dedicar como um bom profissional. Mas, amor, vontade de ver o time campeão simplesmente por ver, como Rogério Ceni, por exemplo, jamais.

Baseado nisso, quero fazer um pedido para vocês. Quinta-feira, teremos a Ponte Preta pela frente. Jogo que parecia ser fácil, mas se tornou um martírio e passou a ter um peso muito maior que uma vitória e uma classificação. Se dediquem, por favor, ao máximo que puderem. Atuem como profissionais, façam o seu melhor, usem o que sabem a seu favor.

Não me interessa que Adalberto afastou P. Miranda e o Leão ficou melindrado. Não me interessa que Denis falhou em outro jogo e a diretoria banca o cara. Não me interessa que Leão é turrão, não me interessa que JJ tem metido os pés pelas mãos ultimamente. O jogo é outra história. Uma vitória coloca a torcida do lado de vocês. O bicho será maior, a possibilidade de título aumenta e a imprensa para de azucrinar o CT do TRICOLOR. Todo mundo ganha aí dentro.

Será que é tão complicado entender isso? Eu, no meu trabalho, faço o possível para tudo dar certo. Primeiro que eu amo o que eu faço – assim como eu acho que vocês também – segundo porque a chance de me encherem se der tudo certo é 0. Claro, futebol é diferente. Alguém precisa perder pro outro time ganhar. Mas, pelo amor de Deus, se dediquem em busca da vitória, mostrem garra, vontade, força, sem corpo mole, sem mimimi, calem a boca da imprensa, dos críticos, dos corneteiros. A vitória é só conseqüência.

Garantam o São Paulo nas quartas de final e vão prá farra. É simples. Se fossem uns pernas de pau, nem pediríamos, mas vocês podem mais do que apresentaram na quarta, no primeiro jogo.....

Denis – meu querido, sabemos da dificuldade de substituir o M1TO. Mas você não está no São Paulo à toa. Tem potencial, tem talento e confiamos em você. Segura a onda da zaga aí atrás.

Rhodolfo – você é o cara da defesa. A gente precisa da sua liderança, do seu modo de jogar e – se der também – das suas cabeçadas lá na frente. Dê segurança ao sistema defensivo.

Edson Silva ou João Felipe – seja quem for o titular, esqueçam a polêmica que veio antes de vocês e atuem como titulares absolutos. Façam por merecer a chance.

Douglas – chegou agora, numa fase turbulenta, mas merece sua chance. Precisamos de você, faz tempo que a lateral direita tá abandonada...

Cortez – cara, como você chegou bem no TRICOLOR, hein! A camisa não pesou e a gente gosta disso. Ajuda no que puder, por favor...

Denilson – menos faltas, cara. Menos afobação. Coloca esse meio de campo prá jogar, acredita. Sua permanência no São Paulo é curta, a gente sabe, então faça valer a pena. Vá embora, em julho, com um título na bagagem.

Casemiro – você será O cara se quiser. Pode ajudar demais nosso time a vencer. “Se ilumina” aí, manda aqueles lançamentos que só você sabe dar. O Fabuloso vai precisar deles.

Cícero – como você tem sido importante nos últimos jogos. E como tem se destacado, né! O caminho é esse, siga por ele.

Lucas – meu filho, pelo amor de Deus. Você é a sensação do time. A gente sabe que tem potencial. Esqueça o rótulo de craque e jogue bola. Chame a responsabilidade prá você, faça acontecer. Esquece seu empresário, esquece que seus pais foram passear em Madri, prá conhecer o Real. Você vai prá lá um dia, a gente sabe disso, mas faça alguma coisa antes pelo São Paulo. Estamos com você, acreditando que pode nos ajudar.

Fernandinho – sei lá o que te falar. Confesso que não sou sua fã. Mas torço horrores toda vez que você veste a camisa TRICOLOR. Seja mais aplicado, levante a cabeça, jogue pelo time. O São Paulo precisa disso.

Fabuloso – o brigador, o centroavante de ofício. Fale mais, cobre o elenco, seja o líder que Rogério Ceni deixou temporariamente nas suas mãos. Vá prá cima deles, peça bola, acredita. A gente vai gritar muito seu nome ainda lá em cima nas arquibancadas.

Jadson – parte da torcida ainda não acredita em você. Mas tem gente que acredita, viu. E torce muito. Você é diferente, não é perna de pau, e pode vir a ser o camisa 10 que vamos contar pros nossos filhos. Só depende de você. Se entrar, prove isso prá gente.

Rogério, meu Capitão. Você não entra em campo, mas seu coração bate, dói e vibra como o nosso, né! Transmita sabedoria a todos eles antes de entrar em campo, transmita força, vontade, profissionalismo. Desperte neles aquele sangue no olho que um time precisa na hora do perrengue. Façam acreditar que eles podem mais. Você é fundamental antes da entrada em campo. Você é fundamental para o São Paulo Futebol Clube.

Time, coração na chuteira, pelo amor de Deus. Acreditem!

E, de coração, torcida TRICOLOR, prá quem for ao Morumbi quinta ou para quem ficar em casa roendo as unhas na frente da TV, força, fé, emoção, alegria, torcida, vibração, entusiasmo, pensamento positivo para todos. Somos são paulinos, somos TRI campeões da Libertadores, somos TRI campeões mundiais – os únicos no Brasil –, somos HEXA campeões brasileiros, três vezes seguidas, um feito no país.

Somos torcedores do amado clube brasileiro, aquele que entre os grandes, és o primeiro. Que venha o jogo de quinta-feira!