sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

O QUE ACONTECE???

A pergunta que não quer calar entre os são paulinos. O que houve ontem? Por que um time muda tão bruscamente de um tempo para o outro. Por que entra em campo tão displicente, tão sem rumo, em uma competição tão importante? Por que um elenco como o do meu TRICOLOR não consegue jogar junto, não consegue ser um time?

O Once Caldas não assustou como eu achei que assustaria. No primeiro tempo deu muito espaço para o São Paulo marcar e decidir, mas o time tricolor não o fez. Conseguia tocar a bola bem, mas sem muita objetividade lá na frente. Na Libertadores é preciso um de frente, goleador, aquele que decide, que pega a bola, bate no peito e diz: deixa comigo que eu resolvo essa parada. E esse homem não é o Washington, definitivamente. Não dá! Não pode!

Marcelinho Paraíba tem sido a maior das decepções nos últimos jogos. Que devolução foi aquela para Jorge Wagner, meu Deus? Quantos anos de experiência você tem, meu querido!? E outra, Milton Cruz, Ricardo Gomes ou quem quer que seja, ele não pode jogar no ataque.

Olha, poderia ficar aqui horas falando do que achei ruim e do que também achei de bom no jogo de ontem. Não adianta ficar especulando se Alex Silva jogasse, no 352, daria certo. Ou achar que se Dagol estivesse em campo, o resultado seria diferente. Agora é bola prá frente.
Não tem nada perdido. Foi só uma segunda partida, fora de casa, normal de se perder. Quem tem experiência em Libertadores sabe disso. Mas o que me deixa preocupada é o modo como se perde, sem brigar, sem lutar, sem esforço, raça, vontade, sei lá.

No meio de todo essa confusão e apatia, a derrota não pode apagar o feito da noite de ontem. Meu CAPITÃO - ídolo da torcida TRICOLOR, amado pelos são paulinos e odiado por outros torcedores (o que é ótimo, não estamos aqui prá agradar ninguém), são paulino de coração, que defende as cores do São Paulo com amor à camisa - bateu um recorde que jamais será alcançado no São Paulo. Se tornou o maior artilheiro do clube na competição, com 11 gols marcados. Dane-se se desviou na barreira e foi sorte (como alguns invejosos vão falar), um ídolo também vive de sorte e precisa dela. Brilhou a estrela mais uma vez de um cara que entende e ama o que faz. E mais, merece muito tudo o que tem conquistado. Obrigada pela garra e amor à camisa de sempre, Capitão!!!

No mais, é esperar por quinta-feira, dia 11, para mais um jogo fora de casa, contra o fraco Nacional. Vamos esperar mudanças, sempre! Vamos torcer por melhores momentos em campo. A derrota, acontece. Não se ganha sempre. Mas sem lutar, não vamos admitir!


Saudações Tricolores !!!


Por Tânia Barbato

2 comentários:

Débora disse...

Aleluia achei alguém que concorda comigo.!!

Falta vontade, garra, determinação, objetividade! Tá vendo Kalam, alguém que concorda comigo nesse quesito! rs.

E, realmente, o Washington não dá! Não pode! Pelo amor, perder o gol que ele perdeu é inadmissível!

A queda de rendimento do time tbém foi brutal.

O Marcelinho deve estar mesmo com a cabeça na condenação dele, com medo de ir pra cadeia.

O RC é, sempre, sem palavras.

Perder é do joog, é da disputa, mas o mínimo necessário é VONTADE, GARRA, OBJETIVIDADE.

Vamo TRIcolor...ainda dá! Vamo!

Bruno 6-3-3 disse...

Melhorar o Whashinton é meio difícil. Mais fácil melhorar o Tietê ou a criminalidade da cidade. Mas tipo, eu nem quis dizer que o Once Caldas é tão grande e tal, mas é um time enjoado de jogar contra, sempre foi. Não é a toa que eles nunca perderam em casa na libertadores né?

Mas se não fossem os erros acredito que teríamos saído com 1 a 0 suado, mas saia. Mas tem muito que melhorar ainda!

E Rogério Ceni, indiscutível.

vamo TRICOLOR!

bjobjo